quarta-feira, 12 jun 2024
InícioNotíciasGeraisCom desfalque do aeroporto Salgado Filho, o foco é o turismo rodoviário

Com desfalque do aeroporto Salgado Filho, o foco é o turismo rodoviário

Maio, mês em que o Rio Grande do Sul foi gravemente afetado por fortes chuvas na maioria dos seus municípios, ficou marcado pelas perdas de vidas e materiais, além do rombo na economia do estado. Embora a Região das Hortênsias não tenha sido atingida por enchentes e manteve seus atrativos em funcionamento, o visitante prorrogou suas viagens de lazer diminuindo a movimentação na serra gaúcha.

O Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre, principal acesso de visitantes à serra, teve sua infraestrutura danificada e foi interditado. No momento operam os aeroportos regionais de Caxias do Sul, Canoas (Base Aérea), Passo Fundo, Pelotas, Santa Maria, Santo Ângelo e Uruguaiana.

Em pesquisa realizada junto aos comerciantes locais da região das Hortênsias, levando em consideração a reabertura do Salgado Filho apenas em dezembro de 2024, 65% indicaram que poderão ocorrer demissões.

Para mitigar esta situação é preciso encontrar caminhos para a retomada econômica e turística. O vice-presidente do Sindilojas Região das Hortênsias, Sandro Schmidt, destaca que, com a interdição do aeroporto, os esforços deverão se voltar para o transporte rodoviário buscando o turista do próprio Rio Grande do Sul e, também, Santa Catarina, Paraná e Mercosul.

Em reunião do trade com o Secretário de Turismo do Estado, Luiz Fernando Rodriguez Júnior, na tarde de 4 de junho, em Gramado, levantou-se a pauta da formação de caravanas de divulgação do turismo gaúcho no Paraná e Santa Catarina, com foco no rodoviário. O dirigente é otimista quanto a reabertura do aeroporto. Ele acredita que até 30 de agosto o espaço volte as atividades.

“O comércio está bastante temeroso em relação ao futuro. O feriado de Corpus Christi nos deu uma animada, pois vimos a cidade movimentada novamente. Superou, inclusive, nossas expectativas. Cerca de 86% de nossa economia vem do turismo. É preciso se desvestir do luto e ir à luta. Encontrar novas alternativas visto que o aeroporto, nosso maior canal de acesso, está fechado”, destaca Schmidt.

Voltando à essência: o caminho é o rodoviário!
Antes da expansão aérea, a maneira mais usual de fazer turismo era pelas estradas. O Sindilojas Região das Hortênsias, buscando voltar à essência, lança uma nova ação de incentivo ao turismo pelas rodovias. A campanha “Vou de carro à Serra Gaúcha” é um convite ao visitante mostrando a ele as vantagens de viajar de carro, moto, ou até mesmo utilizando serviço terceirizado de transporte.

Dentre as vantagens de se viajar pegando a estrada estão: roteiro diferenciado, apreciar a natureza pelo caminho, conhecer novas cidades e culturas, desfrutar do comércio, gastronomia, hotelaria, parques e pontos turísticos de diferentes localidades, não se preocupar com despacho de malas, mais conforto para levar bichinhos de estimação e ter autonomia com o próprio veículo otimizando os passeios.

“A experiência turística já começa com a criação de um roteiro, apontando destinos e atrativos de interesse para desbravar durante o percurso. A ideia é curtir cada etapa, cada novo lugar, suas peculiaridades e belezas naturais. Lembrando que é muito importante para o sucesso da viagem estar em dia com a revisão e manutenção do veículo”, destaca o presidente do Sindilojas Região das Hortênsias, Guido Thiele.

O que esperar pelo caminho?
O Paraná é rico em cultura! Quem planeja viajar de lá para o RS pode desfrutar de roteiros religiosos, rurais, românticos e de aventura, com um presente em meio a tudo isso que é passar por Santa Catarina, estado belíssimo pelas suas praias e atrativos. Já em terras gaúchas é possível desbravar o norte do estado. Quem vem dos países do Mercosul tem o privilégio de conhecer a fundo a cultura gaúcha vindo por cidades missioneiras e de fronteira, percorrendo o centro do estado até chegar à Região das Hortênsias.

A Região das Hortênsias
Bela por natureza com paisagens exuberantes, temperaturas amenas, arquitetura europeia, várias opções de comércio, hotelaria, gastronomia e atrativos. Assim se pode definir o maior reduto turístico do Rio Grande do Sul. A Região das Hortênsias é composta pelas cidades de Gramado, Canela, Nova Petrópolis, Picada Café, São Francisco de Paula e Caxias do Sul, todas interligadas pela RS 235.

Rota Romântica
Em São Leopoldo (cidade berço da imigração alemã), na região metropolitana de Porto Alegre, via BR 116, inicia a Rota Romântica. O roteiro passa por 14 municípios da Serra Gaúcha, são eles: São Leopoldo, Novo Hamburgo, Estância Velha, Ivoti, Dois Irmãos, Morro Reuter, Santa Maria do Herval, Presidente Lucena, Linha Nova, Picada Café, Nova Petrópolis, Gramado, Canela e São Francisco de Paula.

Todas as vias de acesso à Serra Gaúcha e Região das Hortênsias estão liberadas e não apresentam problemas de trafegabilidade. Pelo contrário, encontra-se muito verde e beleza!

Fonte|Foto: Carla Wendt Comunicação |
Mais Notícias

Roteiros em Destaque